terça-feira, 31 de maio de 2011

PÃOZINHO

Sou pai coruja e vou falar de meus meninos...
Pedro, certa manhã, brincava na mesa do café da manhã. Percebi que falava sozinho (Que idiota sou... Crianças nunca falam sozinhas; adultos é que não enxergam seus amiguinhos)... Como estava dizendo, ele conversava com alguém... De repente, veio até mim e disse:
- Pai quero uma peruca de presente de aniversário.
- Por que, meu filho? Seus cabelos são tão bonitos.
- Não é para mim, pai. É para o pão careca. Ele chora todos os dias com inveja dos meus cachos.
Naquele dia, não comi pão careca.

C.H.Gonçalves


segunda-feira, 30 de maio de 2011

LENÇOL DE FEZES OU O BEIJO DA MORTE NO ÉBRIO

Ver-te sujo, [imundo]
Deitado na cama da miséria
... Sentir o odor de tuas vísceras expostas;
teus excrementos exalando podridão.

Secreção vazante, vida insuficiente...

Descontrolada, [compulsiva]
tua respiração acusa tua derrota
... na escuridão,
o caminho que escolhestes,
teu sangue marca.

- O que fizeste de ti?

O álcool trouxe sua conta
Essa dor, que te persegue
e arremessa-te ao chão,
um dia, há de cobrir teu corpo. [seco]

Tudo agora se resume a um buraco raso e nojento...
A cachaça gloriosa ri,
ao ver teu corpo esquálido imerso em fezes.
... buscas ar,
dádiva, antes, abundante,
falta-te.

Teu coração forte resisti...

Nada mais resta
Ninguém ao lado
Nenhuma dignidade

O tempo, [e só ele]
cúmplice da morte,
de teu calvário, é companheiro.

- O que fizeste de ti?

Ainda, amo-te!
- Agüente, tens uma chance!


- Viva! [não mais só, mas sóbrio]

Com minha mão na tua,
vou contigo...

Não estais só,
estais sóbrio...

- abra os olhos!
Acorde, quero tua benção.
Pai!

C.H.Gonçalves

PS: Há um ano faleceu meu pai... Há um nasceu meus versos... Há um ano me derramei em prantos... Há um ano me encharquei de poemas... Há um ano, há um ano.
Juro que vi!

... um beija-flor
regendo a orquestra
do nosso jardim...

... juro que ouvi.

C.H.Gonçalves


SUGA-ME!

‎... Vampiros 
teimam em beber 
o sangue 
- salobro -
da noite...

Ela geme, 
em silêncio...

... não sentem
o pulsar de
meu pescoço 
- excitado - 
suplicando 
suas presas...

... Cerro os olhos 
imagino
meu líquido 
- vital -
feito presa
- animal -

a alimentar outro ser;
a amamentar eternidade...

C.H.Gonçalves

domingo, 29 de maio de 2011

sábado, 28 de maio de 2011

TODO

O que mais posso ofertar
se não as carícias da minh´alma?


O que mais posso confessar
se não a candura de meus versos?


O que mais posso falar
se não minhas palavras de amar?


O que mais?


C.H.Gonçalves

quinta-feira, 26 de maio de 2011

DESAMOLADO

Se o verbo não corta
Não fura
Não rasga
Não lhe bate a porta


Não faz escorrer
Nem é capaz de matar
Muito menos morrer
De tanto querer


Se ao desejo não fala
E no amor não encosta
E na pele exposta
A tua alma se cala


Quando a vida partir
quando o sonho calar
sei, meu verso será
um sorriso a ruir


Carcaça a secar
à  beira do mar.


... tão perto de amar.


C.H.Gonçalves

quarta-feira, 25 de maio de 2011

‎... uma, é pouco?
... duas, é bom?
... três, é demais...
e quatro

- Carlos, Ícaro, Gabriel e Pedro. Venham juntar suas cuecas do banheiro e tratem de lavá-las.

C.H.Gonçalves




terça-feira, 24 de maio de 2011

BEM FUNDO

‎... ao abismo,
qual palavra me levará?

... quem me carregará
ao poço 
sem fundo,
sem sonho,
sem mundo?

Basta-me

... uma palavra
- apenas -
que aponte o caminho;
que me encaminhe à ponte...

Resta-me

... uma palavra
- somente -
dispersa no ar;
gota em meu mar...

Cala-me

... uma palavra 
- única -
que acabe assim:
sem ponto final

C.H.Gonçalves

UM DIA

Incerto dia...
[quente]
a vida transfigura-se;
a matéria transmuta-se...

Hoje...
sentimento será sangue
sangue, alma
alma, lágrima
lágrima, carne

Amanhã...
quando chorares: cortarás a carne
quando sangrares: derramarás a alma
quando amares: serás sentimento

Certa noite...
[fria]
a morte transfigurar-se-á;
o espírito transmutar-se-á...

... sentimento?
- Ontem.

C.H.Gonçalves

UM COPO DE GENTE

Corpo sem fé não pesa

Ao chão,
não prega quem o carrega

Cabeça sem idéias não pensa

O saber,
não rega, não prega

Pernas sem asa, sem pressa...

O mundo,
descarrega, não rega

Vida sem alma não preza

O sonho,
desprega; a vida, cega.

C.H.Gonçalves

UM DIA

Incerto dia...
[quente]
a vida transfigura-se;
a matéria transmuta-se...

Hoje...
sentimento será sangue
sangue, alma
alma, lágrima
lágrima, carne

Amanhã...
quando chorares: cortarás a carne
quando sangrares: derramarás a alma
quando amares: serás sentimento

Certa noite...
[fria]
a morte transfigurar-se-á;
o espírito transmutar-se-á...

... sentimento?
- Ontem.

C.H.Gonçalves

VAGO

Em qual praça
perdi meu sorriso???
- Onde?

Em qual trem
partiu teu olhar???
- Onde?

Em qual caderno
esqueci nossos segredos???
- Onde?

Num livro,
[que nunca escrevi]
queria guardá-los,
cobertos de palavras
,enfeitados de versos,
manchados de lágrimas...

No livro,
[que nunca escreverei]
calam meu sorriso
teu olhar
nossos segredos.

Em noites frias,
carentes de lua,
ousam gritar...

... ninguém os ouvirá

... nem mesmo eu
que deles
fui casa
templo
túmulo.

C.H.Gonçalves

MARIA

Na rua, Maria;
maria crua
maria nua...

... maria careca
maria muleca
maluca maria...

... maria da vida
ferida maria
maria fudida...

- Ave Maria
rogai por ela!

C.H.Gonçalve

domingo, 22 de maio de 2011

MENSAGEM RECEBIDA





Segunda-feira
05/05 22:30
Mensagem recebida
"Antes de dormir, n esqueça q contigo sonharei. Amo-te"
Getúlio.

riso...

Terça-feira
06/05 22:30
Mensagem recebida
"Antes de dormir, lembre-se q és minha vida. Amo-te"
Getúlio.

riso...

Quarta-feira
07/05 22:30
Mensagem recebida
"Antes de dormir, saibas q és o ar q respiro. Amo-te"
Getúlio.

riso...

Quinta-feira
08/05 22:30
Mensagem recebida
"Antes de dormir, imagine tds os nossos dias de amor. Amo-te"
Getúlio.

riso...

Sexta-feira
09/05 22:30
Nenhuma Mensagem Recebida


Silêncio...

Sábado
10/05 22:30
Nenhuma Mensagem recebida


Angústia...

Domingo
11/05 10:30
Chamada recebida
- Fernanda? É a Ana. Amiga, você precisa ser forte... O Getúlio

Lágrimas...

C.H.Gonçalves

sexta-feira, 20 de maio de 2011

GOTA

Amo,
agora,
amigo,
o âmago
amargo...

Na hora em que,

do teu
túmido
umbigo
ambíguo... [Túmulo]
... vazou

a gota
rôta...
morta...
na porta,
... de meus olhos,

ao te ver partir...
ao me ver parir.

C.H.Gonçalves

quinta-feira, 19 de maio de 2011

PEDRO, JOANA E PAULO +


... Eu
- UM DIA -
,da janela,
vi:
passar Pedro
passar Joana
passar Paulo...

para mim,
eles riram;
para eles,
eu ri...

- OUTRO DIA -
,da mesma janela,
vi:
passar Pedro
passar Joana
passar Paulo...

para mim,
eles calaram;
para eles,
eu ri...

- DIAS DEPOIS -
,daquela janela,
vi:
passar Pedro
passar Joana
... .

para mim,
eles choraram;
para eles,
eu calei.

C.H.Gonçalves

segunda-feira, 16 de maio de 2011

PESCADOR

Ficava horas sentado... Observava sua água (a que brota nos olhos)... Quieto, calado, com o olhar vidrado, receava mover-se. Não queria espantá-lo. Iria fisga-lo... Prendia, por vezes, a respiração e desejava, com afinco, aquele alimento imprescindível à sua vida... Sabia que, em breve, o teria... Esticou os braços, segurou com firmeza sua ferramenta de trabalho, e esperou... Mais uma vez, esperou... Sentiu sua aproximação... Um sentimento forte tomou conta de seu corpo; de sua cabeça. Finalmente, havia chegado o tão perseguido momento... A linha estava presa ao desejo... Decidido, lançou-se à beira do seu mar de emoções e, na branca página, traçou as primeira palavras do poema que saciaria sua fome de sonhos.

C.H.Gonçalves